domingo, 13 de maio de 2007

Artista da semana: Joy Division


Bem, algum dia tinha que ser. O grupo musical que marcou profundamente uma fase da minha adolescência pintada de tons negros e cinzentos, tinha de ter um destaque merecido e especial. Creio que o momento é propício. A Warner prepara uma cuidada edição revista e aumentada da discografia dos Joy Division. O filme Control - The Ian Curtis Film, realizado por Anton Corbjin deverá estrear em Setembro nos nossos cinemas. Mas, já ouvi dizer que antes será exibido no Festival de Cannes, no dia 17 de Maio.

Baseado no livro Touching From A Distance( a história do vocalista dos Joy Division contada pela viúva Deborah) é, segundo o realizador, um filme sobre Ian Curtis e não uma reconstituição da curta existência dos Joy Division( embora, é claro, esta surja, obrigatoriamente, interligada). Aguardo com expectativa o filme. Embora, muito tempo tenha passado sem escutar as suas músicas; voltei a faze-lo recentemente. É praticamente impossível esquece-las e não associá-las a muitos momentos e imensas recordações da minha adolescência. São intemporais, únicas, especiais.

Lamento o trágico fim do Ian. "I've been waiting for a guide to come and take me by the hand" Tomara que esse guia que esperavas te tivesse levado pela mão e mostrado outro caminho, outra verdade. Tomara que tivesses sentido a outra face do amor.Confesso: também já caminhei em silêncio pelos escuros vales da depressão, tristeza, melancolia, angústia e solidão. Imergi em profundas crises existênciais durante as quais cogitei esse fim voluntário.

As tuas músicas são tristes, mas belas. Da tristeza, podemos extrair preciosos tesouros e, se não nos matar, torna-nos mais ricos e mais fortes.

São considerados um dos grupos mais marcantes e influentes das duas últimas décadas. Um grupo mítico. Ian Curtis considerado uma lenda(http://www.spectrumgothic.com.br/musica/ian_curtis.htm ).

Hoje em dia, continuam a ser uma referência incontornável para muitos grupos/artistas.

Ladies and Gentlemen: JOY DIVISION!
Love Will Tear Us Apart
When routine bites hard and ambitions are low
and resentment rides high but emotions won't grow
And we're changing our ways, taking different roads
Then love, love will tear us apart again
Love, love will tear us apart again
Why is the bedroom so cold? You've turned away on your side
Is my timing that flawed? Our respect runs so dry
Yet there's still this appeal that we've kept through our lives
But love, love will tear us apart again
Love, love will tear us apart again
You cry out in your sleep, all my failings exposed
And there's tast in my mouth as desperation takes hold
Just that something so good just can't function no more
But love, love wil tear us apart again
Love, love will tear us apart again
Love, love will tear us apart again
Love, love will tear us apart again
Disorder
I've been waiting for a guide to come
and take me by the hand
Could these sensations make me feel
the pleasures of a normal man
New sensations bear the innocence -
leave them for another day
I've go the spirit, lose the feeling
take the shock away
It's getting faster, moving faster now,
it's getting out of hand
On the tenth floor, down the backstairs
into no-man's land
Lights are flashing,
cars are crashing,
getting frequent now
I've got the spirit, lose the feeling, let it
out somehow
What means to you,
what means to me -
and we will meet again
I'm watching you, I watch it all
I take no pity from friends
Who is right and who can tell,
and who gives a damn right now
Until the spirit, new sensation
takes hold - then you know (3)
I've got the spirit, but lose the feeling (2)
Feeling (7)
The Eternal

Joy Division The...

Procession moves on, the shouting is over,

Praise to the glory of loved ones now gone.

Talking aloud as they sit round their tables,

Scattering flowers washed down by the rain.

Stood by the gate at the foot of the garden,

Watching them pass like clouds in the sky,

Try to cry out in the heat of the moment,

Possessed by a fury that burns from inside.

Cry like a child, though these years make me older,

With children my time is so wastefully spent,

A burden to keep, though their inner communion,

Accept like a curse an unlucky deal.

Played by the gate at the foot of the garden,

My view stretches out from the fence to the wall,

No words could explain, no actions determine,

Just watching the trees and the leaves as they fall.

Um comentário:

Gwenyfar disse...

Ah! Bom demais, demais!!! Parabéns, o post ficou muito bom!

Olha, eu sinto tanto pela morte dele! Pôxa, só fico aqui na esperança de que ele tenha se salvado no último suspiro...quem sabe? Só Deus!

Ele deixou uma obra e tanto, com tanta coisa para ser pensada e vivida! Sim, vivida! Porque as musicas deles sao sobre a vida, seus altos e baixos. Relamente podemos ficar mais fortes e não sucumbir. Que Deus abençoe a todos nós!

Abraço!